quarta-feira, maio 25, 2011

Um socialista agastado

Paulo Pinto escrevia ontem no blogue Jugular um delirante texto em que acusa tudo e todos de xenofobia face ao maravilhoso espectáculo proporcionado pelo comício do PS em Évora. Vale a pena ler o post só para ver os argumentos esquizofrénicos que um PS “à rasca” consegue arranjar e, no fim, dar uma boa gargalhada.
É verdade que os grandes partidos sempre arregimentaram gente de todo o país para um comício em Xabregas ou Vila do Bispo, mas creio que nunca tinha sido necessário pedir uma ajudinha à embaixada de Moçambique e usar, sim, é esse o termo, USAR, emigrantes a quem, regra geral, não damos o mínimo de dignidade e respeito exigidos.
Quem nada tem, porque a vida dos emigrantes por aqui é vida sofrida e de escassez, é claro que aproveita um passeio e um lanche. Qual é o mal?
O mal é que o PS já não consegue sequer mobilizar portugueses de Miranda do Douro, como diz Paulo Pinto, para irem a Évora ouvir magníficos discursos de Capoulas Santos e Sócrates, nem que lhes acenem com passeio e lanche. Só mesmo a “mão-de-obra barata”, tão desprotegida e sem extras, responde ao convite e até consegue fazer daquilo uma festa.
O PS lixou-se com esta iniciativa, tanto que já mandou parar o “esquema”; só o estertor e desespero dos Paulo Pinto da pátria os leva a disparar para todos os lados, e a defender com seriedade o que nos provoca o riso até às lágrimas.

Sem comentários:

Publicar um comentário