terça-feira, maio 24, 2011

O senhor governador

Por acaso embirro com o senhor governador do Banco de Portugal, Carlos Costa.
Ele gosta de aparecer e aparece muito, trazendo sempre más notícias do tipo – isto está mau e vai ficar péssimo.
A gente já sabe disso e nem se questiona a necessidade de falar verdade, mas o que me embespinha é que o senhor governador tem ar de quem gosta de dar más notícias, pois sempre, enquanto as dá, exibe um sorriso que me parece demasiado rosado e demasiado escarninho.
No relatório anual do BdP, há dias apresentado, diz-se que o programa de “ajustamento” para Portugal negociado com a troika, é “equilibrado” e bom a médio prazo mas, a curto prazo traz “recessão prolongada” “acompanhada de uma contração sem precedentes” do rendimento das famílias e maior desemprego. Apesar disso, o BdP ainda acha que seria desejável “superar os exigentes objectivos fixados para Portugal”
Ou seja, a troika diz “mata-se” e Carlos Costa diz “ já devia estar morto e esfolado”
(sempre sorrindo, claro).
Não sei porquê, desconfio que, se o PSD ganhar as eleições, o quadro deixará de ser tão negro para o governador do BdP. Talvez até ganhe cores primaveris, ou talvez ele apareça menos e nos dê folga durante um tempo.
Se calhar isto são só os meus habituais maus pensamentos, se calhar o homem é um espírito independente, se calhar (de certeza) isto está mesmo mau e vai ficar péssimo.
Mas se ele, ao menos, parasse de se rir…
É que me irrita, e definitivamente embirro com aquele seu jeito de dar as más notícias.

Sem comentários:

Publicar um comentário