terça-feira, setembro 25, 2012

Prof. Marcelo e Água das Pedras ao serão de domingo

É-me difícil evitar o professor Marcelo e a sua missa dominical, posto que não vivo sozinha.

Porém, a cada semana que passa, sou mais atacada por azia, enfartamentos, e outros padecimentos digestivos, enquanto o oiço.

Náuseas, esqueci-me das náuseas que me provocam os seus recados ao governo tentando desesperadamente ensiná-lo a governar, as suas tentativas de justificar o injustificável, os argumentos fabricados apenas com metade da verdade e da realidade, os seus sorrisos de velha raposa, o seu cenho franzido simulando desgosto de pai desiludido.

Para já não falar das perguntas não formuladas por dona Judite.

A coisa atingiu proporções que me levam a ponderar a hipótese de vir a deitar-me em jejum ao domingo, e ainda antes de abrir aquele enorme pano de cena do teatro político em Portugal.

A representação é péssima, cabotina mesmo, mas o actor arrasta multidões e é bem pago.
Se calhar, é só embirração minha, mas lá que tenho náuseas, tenho.


4 comentários:

  1. Idem! Não posso com a criatura. A minha sorte é que vivo sozinha. Mas mesmo assim, consegue fazer-me alterar a hora a que vou telefonar a alguém... Porque olho para o relógio e penso logo que está certamente a ouvir o Marcelo e interromper um tal discurso para falar ao telefone é coisa impensável!
    Pffff...
    Rute

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rute, é um corredor de fundo. Há anos que prepara a candidatura a Belém e vai continuar. E tu continuarás a não poder telefonar a essa hora, excepto a mim.

      Eliminar