terça-feira, janeiro 21, 2014

Injustiças


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Anda um homem a ser um cabotino supercuidadoso – leva dois anos e meio a dizer malzinho da governança mas só quando é inevitável, e sempre com grande doçura; a dar ensinamentos sobre como governar e como acalmar o povo burro; a justificar o injustificável; a alertar para aquilo que pensa que se vai seguir e, apesar disso tudo, percebe, por interposto discurso, que não é amado.

Aí, Marcelo transtornou, e no passado domingo deu tudo por adquirido − que estamos em velocidade de cruzeiro para a prosperidade, que o céu é o limite, que Passos vai ganhar as próximas eleições, e as outras a seguir, e talvez até fique PM para sempre, e vai escolher um candidato a Presidente da República que não será ele, Marcelo.

O sonho duma vida...pfff!
Quê? Eu a rir do Marcelo? Não estou nada, ora essa!!!

Sem comentários:

Publicar um comentário