terça-feira, janeiro 01, 2013

Palavras roubadas para iniciar 2013

“Fiz uma revisão do que aprendera. Tinha descoberto capacidades e forças que nunca teria imaginado possíveis, naqueles tempos quiméricos e distantes, anteriores à viagem.

Tinha redescoberto pessoas no meu passado e chegado a uma conclusão quanto aos meus sentimentos para com elas. Tinha aprendido que o amor significava desejar tudo de bom para aqueles de quem gostávamos, mesmo que isso nos excluísse a nós próprios.


Tinha entendido o que era a liberdade e a segurança e que havia necessidade de abalar os alicerces do hábito. Que para sermos livres precisamos duma vigilância constante e inflexível sobre as nossas fraquezas. Uma vigilância que requer uma energia moral que a maior parte de nós é incapaz de produzir. Acomodamo-nos aos moldes do hábito. São seguros, amarram-nos e refreiam-nos, com sacrifício da liberdade.
Quebrar esses moldes, ficar indiferente às seduções da segurança é uma luta impossível, mas uma das poucas que valem a pena.
Ser livre é aprender, pormo-nos constantemente à prova, apostar.
Não é seguro.”

Robyn Davidson
Trilhos
No deserto australiano com quatro camelos e um cão
Quetzal

Um maravilhoso livro de viagem. Se temos que viajar apenas sentados, então que seja em 1ª classe. É este o caso.

Sem comentários:

Publicar um comentário