segunda-feira, setembro 05, 2011

Gordura localizada

O “velho” PSD começa a não aguentar mais o rabo na cadeira, parece que ela tem picos. Manuela Ferreira Leite, Vasco Graça Moura, Marques Mendes, já vieram dizer que assim não dá e que o “rapaz” está a esticar tanto a corda que ela vai partir.
O “rapaz”, ex-jotinha cheio de traquejo partidário, sabia que tinha que mentir muito para levar a sua avante (salvo seja) e foi o que fez. Disse em campanha tudo ao contrário do que planeava, disse uma coisa cá dentro e o seu contrário lá fora, tomou o freio nos dentes à boleia da troika que chamou com o chumbo do PEC IV (é bom lembrar que, logo aí, para dentro disse que era por ser demais e no dia seguinte, para fora, disse que era por ser de menos) e parece agora um elefante numa loja de porcelanas.
Depois de aumentar impostos até ao limite, atirou-se finalmente à “gordura do Estado”. Esta, afinal, estava toda na cintura, como é habitual; era gordura localizada – na saúde, educação, segurança social.
Manda o ministro das finanças anunciar uma cirurgia rápida e a frio (é preciso poupar) e…já está!
Não deu a cara? E para que havia de dar? Já sabemos que a culpa é toda do anterior governo. Não é sempre assim governo após governo?
Dra. Manuel Ferreira Leite, a senhora foi a primeira a chamar mentiroso a Sócrates com todas as letras; pois aqui estou, sentada, à espera de ouvir mais alguma coisita que ache por bem dizer.
Sabemos que se acha diferente, e melhor; por isso lhe deixo a pergunta - 
será capaz de repetir a vernacular proeza e chamar mentiroso a Passos Coelho com todas as letras?

Sem comentários:

Publicar um comentário