quarta-feira, agosto 31, 2011

Sueco não bate em menino.Talvez menino bata em sueco.

Eu cá sou do tempo da lambada. Não aquela dança do século passado, mas aquela outra sinónima de estalada. A minha mãe tinha a mão leve e muita pontaria com ela; nunca caíam no chão. Umas eram justas e outras injustas, mas isso é pecado e dúvida que todos os pais carregam.
D. Luísa, da mesma geração, costumava dizer-me que até aos 5 anos há uma ligação directa do rabo ao cérebro – uma palmada no rabo e acende-se uma luz no cérebro. Criaram filhos, 10 no total, de todos se orgulham e todos se orgulham delas.
Segundo notícia do Jornal de Notícias, um italiano de sangue quente, estando de férias na gélida Suécia, deu uma estalada no filho de 12 anos que estava a fazer uma birra na rua (e provavelmente a incomodar todo o mundo à sua volta) e isso é PROIBIDO na Suécia.
Logo, o italiano foi preso e vai ter de ficar na Suécia até 6 de Setembro, dia em que vai a julgamento.
Uma coisa é espancar um filho e outra bem diferente é dar-lhe uma estalada se está a fazer uma birra, acho eu, mas os assépticos suecos acham que é tudo igual. Ou muito me engano ou eles ainda vão conseguir transpor isso para a legislação comunitária, como a calibragem dos peros, e cá a malta de sangue quente vai ficar bem lixada.


Sem comentários:

Publicar um comentário