quinta-feira, fevereiro 23, 2012

Patrãozinho André

Por aqui, mesmo quem não é ligado ao futebol, desde que oiça notícias e leia jornais, vai acumulando muita informação sobre o tema, ainda que superficial.

Foi o que me aconteceu há dias com o título desta notícia, que nem li, mas que me disse alguma coisa, e por isso hoje a fui repescar (em linguagem desportiva, como convém).

Villas-Boas: “Não preciso do apoio dos jogadores, só do dono do clube”

Na altura pensei com os meus botões – és tu que jogas, rapaz, ou são eles? e achei muito estanho que um treinador diga que não precisa do apoio dos jogadores para o seu projeto, visto que são eles que o concretizarão.

Sabemos que o André tem uma importante costela inglesa mas essa deve-lhe ficar para os lados da rabadilha. A verdadeira costela lombar, a que sustenta, é bem portuguesa, diria até que é portuguesa dos sete costados.

É que o André tem os tiques duma grande parte dos patrões portugueses, os tais que acham sempre que quem trabalha é descartável.
Eles, os patrões, só precisam mesmo do banco e do Estado.
Como o André precisa, apenas e só, do Abramovich.

1 comentário:

  1. Essa frase prova que não é tão inteligente como o julgava!!

    ResponderEliminar