quinta-feira, fevereiro 27, 2014

Apropriação do dia


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
“As palavras são seres furtivos, capazes de sentidos onde não alcançam, pobres deles, os dicionários. A palavra “amor”, por exemplo, não precisa de ser pronunciada para significar, e (como se temesse mostrar-se) revela-se quase sempre sob a forma de outras palavras ou de silêncio.”

 Excerto da crónica de Manuel António Pina, publicada em 21/12/2005 no JN

Sem comentários:

Publicar um comentário