quinta-feira, agosto 16, 2012

Tarefas Infinitas IV















Tudo existe para chegar a um livro

Do mais comum quotidiano à mais extraordinária iluminação – e desorganizando essas categorias: tudo se dirige para um livro. O trabalho e o descanso, a dor e o prazer, a ficção e a realidade, o amor e a morte. As paredes grafitadas e a pele do corpo. O desejo enciclopédico de apreender todo o conhecimento do mundo. Refletir sobre a brevidade da existência ou prolongá-la numa imortalidade da memória. Estabelecer a normalidade ou desencadear a loucura. Heróis, cobardes, santos, loucos. O que podemos ser encontraremos num livro, ou resultará num livro: possibilidades-de-si desconhecidas. Existirá o mundo porque o livro existe?”

Notas: Texto que acompanha o núcleo "tudo existe para chegar a um livro" da exposição Tarefas Infinitas na galeria de exposições temporárias do Museu C. Gulbenkian
Imagem do catálogo: Pinturas do Mestre François, Livro de horas de René de Lorena, século XV

3 comentários:

  1. Olá. Por aqui passsei para dar uma olhada. Legal. Apareça por la. Abraços.

    ResponderEliminar
  2. Tantas palavras bonitas até me deixam com inveja de não poder visitar a exposição.

    bji gde, querida Maria:)

    (um dia destes, vou abusar e mandar-lhe um email por causa das terapias do Gui.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cá fico à espera para quando quiser, Nina. Um abraço

      Eliminar